.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. O AMBIENTE SOCIAL E A SAÚ...

.arquivos

. Junho 2012

. Janeiro 2012

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Segunda-feira, 12 de Março de 2007

O AMBIENTE SOCIAL E A SAÚDE

Embora quando pensemos em saúde, tenhamos em conta cada indivíduo enquanto único, não nos podemos esquecer do que contribui o ambiente social para a construção desse mesmo indivíduo. Assim, temos sempre de considerar aspectos sociais como o gradiente social, infância, exclusão social, stress, trabalho e desemprego, comportamentos aditivos, alimentação, transportes, …

No que toca no gradiente social, por exemplo, indivíduos de um escalão social mais baixo, com falta de base familiar, menor nível de educação, maior insegurança no trabalho, habitação com falta de condições, terão certamente uma esperança média de vida mais baixa e, assim, estarão também mais susceptíveis a doenças mais comuns. Além disso estas desvantagens tendem a concentrar-se em torno das mesmas pessoas, pelo o que os seus efeitos na saúde vão-se acumulando ao longo dos tempos.

A infância é uma fase altamente condicionante do futuro adulto. Assim, más condições durante a gravidez, podem não só provocar um desenvolvimento fetal insuficiente, como também, a educação condiciona comportamentos e estilos de vida futuros.

Factores de exclusão social como a pobreza e a descriminação podem ter um importante impacto na saúde e aumentam a probabilidade de morte prematura.

O stress resultante de uma permanente ansiedade, diminuição da auto-estima, isolamento social, falta de controlo sobre a vida familiar ou o trabalho, são também factores psico-sociais que afectam a saúde física. Por exemplo, um estudo recente da Universidade de Southampton mostrou que a probabilidade de desenvolver a Síndrome de Cólon Irritável (20% dos portugueses são afectados por esta enfermidade crónica) após uma infecção intestinal é maior em pessoas perfeccionistas, estando relacionada com níveis de ansiedade e stress.

Além destes, também pressões relacionadas com o emprego ou frustrações resultantes do desemprego, comportamentos aditivos e alimentares subsequentes, também condicionam a saúde de cada um.

Uma forma de evitar uma influência negativa na saúde do meio social é uma prática regular de exercício físico e maior estabelecimento de actividades sociais variadas.

 

 

 

publicado por Dreamfinder às 18:24

link do post | comentar | favorito

.links